terça-feira, 7 de outubro de 2008

Arnaldo Viana teve mais votos que Rosinha Garotinho, diz Ayres Britto

BRASÍLIA - O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Carlos Ayres Britto, disse nesta segunda-feira que os julgamentos sobre o registro de candidatos a prefeito em municípios onde pode haver segundo turno terão prioridade. Na cidade de Campos, por exemplo, pode ocorrer uma reviravolta se o candidato Arnaldo Viana (PDT) conseguir seu registro na justiça. Os votos de Viana não foram divulgados, mas o ministro revelou que ele obteve mais adesões que Rosinha Garotinho (PMDB) que aparece no sistema em primeiro lugar.

"Hoje a candidata Rosinha aparece em primeiro. É possível que o segundo lugar passe para o primeiro."

No sistema do TSE não há votos atribuídos a Arnaldo Vianna (PDT) porque o registro dele foi questionado em ação judicial e depende de decisão.

- Aqueles que estão com o registro indeferido, mas com (julgamento de) recurso pendente, os votos são contados para o candidato, mas não são divulgados. São divulgados como votos nulos. Isso pode dar uma falsa impressão que um candidato teve 100% dos votos. Quando se julgar o recurso pendente, ele pode eventualmente ser vencedor, a candidatura ser deferida e aqueles votos que eram nulos passam a ser contados para ele - explicou o ministro Marcelo Ribeiro, também do TSE.

Fonte: http://oglobo.globo.com/pais/eleicoes2008/mat/2008/10/06/arnaldo_viana_teve_mais_votos_que_rosinha_garotinho_diz_ayres_britto-548581788.asp

Abraços...

Victor Alexim

sábado, 13 de setembro de 2008

Desespero Alienado

Tudo está se encaminhando para que a eleição em Campos seja decidida no
1º turno,vendo isso esta batendo um tremendo e alienado terror nos demais candidatos, a ponto deles abandonarem as propostas de governo, mesmo fracas, para atacarem covardemente o candidato que certamente vai ganhar a eleição.
A prova disso é a insistência absurda da candidata florzinha em afirmar que seu adversário não podera ser candidato, ora candidata, deixe que a justiça cuide disso,detenha-se apenas em apresentar suas propostas assistencialistas.
Por outro lado tem tambem o Mr. Bean tucano, que lançou na propaganda eleitoal um Louro José do Paraguai, horrível, com uma voz irritante, que se peocupa o tempo todo em dizer que é um homem limpo, que tudo que foi vinculado na mídia nao passou de uma manobra maquiavélica para campanha presidencial em que teve seu nome envolvido, pra cima de nós candidato?
São muitas promessas utópicas, que se realmente forem cumpridas por quem ganhar essa eleição, nossa Campos vai se tornar uma cidade dos Jetsons.
Pensem bem galera por que seu voto faz a diferença, estaremos decidindo o destino de nossa cidade para os próximos 4 anos...


Abraços!!


Victor Alexim

sábado, 6 de setembro de 2008

A MÁQUINA DE FANTASIAS

É impressionante e inacreditável a criatividade do ser humano, mesmo usando apenas 10% do cérebro ele é capaz de fantasiar situações inusitadas e, mesmo sem provas jogar a informação num meio de comunicação e que todos tem acesso e muitas vezes tomam como verdade absoluta.
Venho por meio do meu blog esclarecer que nunca, eu repito nunca, ganhei o salário referido no blog do sr. Garotinho, na verdade amigos nem sei porque me refiro a ele como sr. pois para mim ele não passa de um moleque, um ser humano desprezível que não visa outro objetivo a não ser chegar ao poder.
Só que ele não percebe que com o passar do tempo evoluímos, ou será que percebe?
Por que essa preocupação toda em não aparecer e nem usar seu nome na campanha em Campos? Por que ele não vem à Campos para prestigiar e mostrar toda sua popularidade em prol da campanha da sua esposa, que mesmo eles tentando maquiar não vai aguentar a pressão até o final? Será que é para focar na campanha da filha no Rio? Vocês realmente acreditam nisso? Será que ele realmente brigou com o jornal o diário? Será que essa briga não é uma forma de desvincular de qualquer mandeira o nome dele com a do jornal já sabendo que as investigações chegariam e vão chegar até ele?
Eu realmente nem sei porque me dou ao trabalho de responder a essa acusação, pois um homem que foi prefeito e governador afirmar que só tem uma casinha na lapa, só deve ser um péssimo administrador, além do mais, ele está totalmente perdido, sinto até pena dele, até de disco voador estão chamando o homem.
Por que disco voador? Simples, baixinho, redondo e ninguém acredita nele.
Realmente como uma pessoa bondosa que me considero e vendo que ele não está em seu estado normal, eu me disponho Sr. Molequinho, subsidear, já que como a lista da Fundação Pelúcio, manipulada pelo Sr. afirma que recebo mensalmente R$2.182,00, sua clinica de recuperação. Ainda te dou duas opções, Henrique Roxo ou Abrigo João Vianna.
Não pense o Sr. que é simples jogar um informação na internet e que ficar sem resposta, porque ao contrário do Sr. eu sou homem, e não admito que mexam com a minha integridade. o Sr. sabe o que é integridade?
Eu ficarei muito feliz se o Sr. aceitar minha proposta, pois acredito que o 1º passo o Sr. já deu, que foi a de aceitar que está doente, a greve de fome foi uma prova.
Eu desafio ao Sr. provar que realmente eu ganhava ou ganho o que o Sr. afirmou. pois se foi homem o suficiente para espalhar a notícia tem que ser homem para provar a veracidade da mesma.
Mas fique tranquilo, a resposta virá no dia 5 de outubro, aí sim nós iremos saber se essa gana toda pelo poder te levará a algum lugar. Um beijo no seu coração molequinho.

Um Abraço!!!!

Victor Alexim

segunda-feira, 28 de julho de 2008

O que elas fariam com um pênis

O best-seler da escritora australiana Fiona Gilles, “Pênis por um dia”, no original “Dick for a day”, não fez sucesso por acaso. O livro fala tudo a respeito do pênis e justamente por aquelas que não o possuem. A escritora endereçou a pergunta “O que faria se tivesse um pênis por um dia?”A várias mulheres escritoras, jornalistas, artistas e poetas de todas as opções sexuais, ou seja, lésbicas, bissexuais e mulheres casadas. Cada uma respondeu à pergunta de acordo com o seu humor ou experiências vividas em torno do membro masculino. A questão não é para promover a teoria freudiana da “inveja do pênis”. Obviamente, as mulheres não precisam de um pênis e a maioria delas não gostaria de tê-lo como um artefato permanente, principalmente se isso significasse desistir daquilo que só possuem. Entretanto como idéia, em resumo, esse livro revela o que as mulheres pensam realmente a respeito do pênis como objeto anatômico e arquétipo cultural, seu potencial para agradar quando colocado em mãos experientes, direcionados para as recentes perspectivas de suas consumidoras: suas fãs, suas vítimas, suas amantes. Ele pode ser a varinha de condão para a realização do prazer e amor, ou o brutal e indiferente instrumento do abuso e da dor. As experiências femininas a respeito do pênis variam do sublime ao ridículo, do transcendental ao humano. Quarenta e sete responderam à questão do livro, em prosa, verso, charges e até em quadrinhos, dependendo da especialidade de cada uma. E como o espaço não permite que fale de sobre todos, escolhi algumas.
A Camila Paglia foi curta e sem rodeios. Respondeu que se tivesse um pênis por um dia sairia correndo atrás de Catherine Deneuve. Essa foi uma verdadeira declaração de amor. Outra respondeu que gostaria de urinar na tampa do vaso, nas paredes e no chão, e em seguida mandaria seus três irmãos lavar e enxugar, para descontar o que eles haviam feito com ela a vida inteira. A romancista Jonice Eidus esnoba assim: “Após fazer amor com uma banda de rock composta se sete músicos, eu tive aqueles sete pênis uma vez, não preciso outra vez. Sou uma bonita e famosa novelista best-seller e posso ter o pênis que quiser. Além do mais, vou ficar muito ocupada escrevendo meu próximo livro: “Branca de Neve e seus sete pênis”, um conto fictício da vingança. Já Vicki Hendricks ironiza: “Se ele tiver vindo com todos os equipamentos em tentaria fazer uma doação a um banco de esperma, para passar meus genes de outra forma. Porém a melhor parte seria livrar-me dele no final do dia”. Germanine Greea respondeu assim: “Primeiro iria saber que espécie de pênis é. Se ele for suficientemente grande, conferia se sou realmente boa de cama. Se tivesse todos esses atrativos procuraria um banco de esperma para passar meus genes por outro método. Porém o melhor seria passear com ele até o fim do dia”. Vimos que a mulher, por mais que tente, nunca vai funcionar como o homem, só porque conseguiu um pênis por um dia, pois a noção e os sentimentos são diferentes. Até os desejos. A teoria de que o sexo feminino é uma versão incompleta e imperfeita está ultrapassada. O que observamos com a leitura do livro é que, dependendo da carência e das experiências de cada uma elas usariam o pênis para proporcionar prazer sexual à sua parceira ou para própria satisfação sexual.


Um abraço!!!

Victor Alexim

domingo, 27 de julho de 2008

SOLUÇÃO

TEM DIAS QUE VIVEMOS
APENAS POR VIVER
SABEMOS QUE NO ENTANTO
MUITO PODE ACONTECER

O AMOR SÓ É VERDADEIRO
QUANDO NOS PEGAMOS DO NADA
PENSANDO COMO BOBOS
SEMPRE NA MULHER AMADA

E É ASSIM QUE ME SINTO
PENSANDO SEMPRE EM VOCÊ
ÀS VEZES NEM SEI EM QUE
ÀS VEZES NEM TEM PORQUE

UMA, SERÁ QUE ELA TÁ PENSANDO EM MIM
DUAS, NÃO SEI SE ELA AINDA ME QUER
TRÊS, NÃO SEI SE AINDA ME AMA
QUATRO, MAS QUERO QUE SEJA MINHA MULHER

E ASSIM AS HORAS PASSAM
EU SEMPRE PENSANDO EM VOCÊ
ESTEJA DE DIA OU DE NOITE
NÃO CONSIGO TE ESQUECER


Um Abraço!!!

Victor alexim

Oração a São Jorge

Apesar de não ser tão religioso considero essa oração muito forte, e por isso resolvi postar essa oração aqui:


Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge para que meus inimigos,
tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me vejam, e nem em pensamentos
eles possam me fazer mal.
Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrem sem o meu corpo tocar, cordas e correntes
se arrebentem sem o meu corpo amarrar.
Jesus Cristo, me proteja e me defenda com o poder de sua santa e divina graça, Virgem de Nazaré, me cubra
com o seu manto sagrado e divino, protegendo-me
em todas as minhas dores e aflições, e Deus, com sua divina misericórdia e grande poder, seja meu defensor
contra as maldades e perseguições dos meu inimigos.
Glorioso São Jorge, em nome de Deus, estenda-me o seu escudo e as suas poderosas armas, defendendo-me com
a sua força e com a sua grandeza, e que
debaixo das patas de seu fiel ginete meus inimigos fiquem humildes e submissos a vós. Assim seja com
o poder de Deus, de Jesus e da falange do Divino
Espírito Santo.


São Jorge Rogai por Nós.



Um Abraço!!!

Victor Alexim

Por que ninguém mais conta estas páginas da História do Brasil ?

Nos tempos do governo militar a "companheira Estella" foi uma das que planejou aquele que seria o mais rentável golpe da luta armada em todo o mundo: o roubo do cofre de Adhemar de Barros, ex-governador de São Paulo.
O crime foi cometido pela Vanguarda Armada Revolucionária-Palmares (VAR-Palmares), resultado da fusão da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR) do capitão Carlos Lamarca com o Colina, do qual a "companheira Estella" era líder.
Onze dias depois da fusão, em julho de 1969, 13 guerrilheiros da VAR-Palmares roubaram o cofre de 200 kg de uma casa no bairro carioca de Santa Tereza, onde vivia a amante de Adhemar.
Os guerrilheiros sacaram do cofrinho do Ademar US$ 2,6 milhões.( dólares ) .
Onde foi parar o dinheiro? Eis um dos mistérios insondáveis daquela época que produziu tantos heróis e heroínas da esquerda.."
À guisa de informação, a "Companheira Estella" era o nome de guerra da atual Ministra Chefe da Casa Civil," Dilma Rousseff."

A ficha nos arquivos militares de Dilma Rousseff,
hoje ministra-chefe da Casa Civil: só em 1969,
ela organizou três ações de roubo de armamentos
em unidades do Exército no Rio de Janeiro

fonte:
http://veja.abril.com.br/150103/p_036.html

Abraço!!

Victor Alexim

sábado, 26 de julho de 2008

AMIGOS

SEMPRE QUE PRECISO
ELES ESTÃO DO MEU LADO
NAS HORAS MAIS DIFÍCEIS
UMA PALAVRA, UM ABRAÇO

AMIZADE É COISA RARA
DIFÍCIL DE ENCONTRAR
MUITOS SÃO OS COLEGAS
MAS COM POUCOS PODEMOS CONTAR

ZÉ AMIGO COMPANHEIRO
SEMPRE ME AJUDANDO
SEJA PARA O QUE FOR
NUNCA ME ABANDONANDO

O QUE FALAR DE JOÃO
QUE SEMPRE TEMOS ATRITOS
MAS NA HORA QUE MAIS PRECISO
MOSTRA PRA QUE SERVEM OS AMIGOS

ANDRÉ GENTE BOA AS PAMPAS
AMIGO DE VERDADE
POSSO CONTAR COM ELE
NAS HORAS DE NECESSIDADE

LEANDRO AMIGO FIEL
QUE SEMPRE TA DO MEU LADO
NAS PELADAS DE QUINTA FEIRA
PRA TUDO TA PREPARADO

VILSINHO NÃO POSSO ESQUECER
LONGE, MAS PERTO DO CORAÇÃO
O PRIMEIRO DA GALERA A SER PAI
E COM CERTEZA É UM PAIZÃO

NÃO POSSO TERMINAR SEM CITAR
O CARA QUE É O MEU MANO
MARKINHOS COMPANHEIRÃO
CAMARADA AMIGO QUE AMO.

sábado, 19 de julho de 2008

The Book is on the table

“NEVER BEFORE IN THE STORY OF THIS COUNTRY”




No dia 27 de maio, o presidente Lula afirmou ter telefonado para o colega dos Estados Unidos, George Bush, e dito a seguinte frase: “Bush, meu filho, nós ficamos 26 anos sem crescer. Agora que estamos crescendo vocês vem atrapalhar,à resolve a tua crise”. Fiquei compadecido com o esforço Hercúleo que o presidente Lula certamente fez para falar tudo isso no idioma de Homer Simpson e, num gesto de amor à pátria, resolvi ajudar o madatário em seus próximos telefonemas:


Português - Alô Bush, aqui é o Lula
Inglês - Hi, Moita, here is the Squid

Português - Bush, não deixe sua crise atravessar o atlântico
Inglês - Moita, do not leave your crisis to cross the atlantic

Português - É preciso melhorar a massa encefálica dentro do cérebro
Inglês - It’s need improve the brain massa inside the brain

Português - Esse dossier é coisa de aloprado
Inglês - This dossier is thing of screwbolls

Português - Essa zelite fica conspirando contra eu
Inglês - This zelite ctry conpiring apainst I

Português - Minha mãe nasceu analfabeta
Inglês - My mother was sborn analphabetic

Português - Dilma rousseff é a mãe do PAC
Inglês - Dilma Rousseff is the mother of the PAI

PAI – Program of Acceleration al the Inerease


Um abraço!!


Victor Alexim

Todo o poder às renováveis

No ano passado com o relatório “[R]evolução Energética”, o Greenpeace mostrou o caminho das pedras para aumentar a parcela das fontes renováveis de energia na matriz brasileira até 2070. Agora, cabe ao Congresso Nacional discutir e aprovar uma lei que estabeleça incentivos financeiros e estruturais que facilitem o acesso de energia renovável à rede elétrica brasileira. Sem incentivos, o que já é realidade em diversos paises do mundo continuará apenas um distante sonho no Brasil.
“Estamos trabalhando por uma Lei que garanta prioridade a essas fontes no sistema interligado nacional, fomentando assim o setor de renováveis no país” explica Ricardo Baitezo, especialista em energia do Greenpeace Brasil.”Para pressionar o governo e mobilizar formadores de opinião, o Greenpeace está apoiando a realização de seminários específicos sobre o tema em Brasília e no nordeste. Os eventos devem reunir técnicos, especialistas, autoridades do executivo e do legislativo para discutir modelos legais e formas de incentivo”.
A matriz energética brasileira é principalmente baseada em hidrelétricas de grande escala. Quando se fala em energias renováveis, refere-se à energia eólica, solar, hídrica de pequeno porte e biomassa, ou seja, um modelo de geração descentralizado, mais próximo dos centros consumidores e, portanto de menos escala. Hoje essas fontes ainda representam uma parcela muito pequena da matriz elétrica nacional, principalmente por falta de incentivos do poder público, que não foi capaz de estabelecer regras claras para a comercialização dessa energia nem atrair investidores do setor.
Estudos do próprio governo federal mostram que o potencial de energia solar e eólica brasileiro é imenso. “Além disso, se considerarmos o crescimento das usinas sucroalcooleiras e o subseqüente aproveitamento do bagaço da cana, a geração de eletricidade a partir de biomassa também pode ser expressiva”, explica Ricardo.
Não há como garantir, mas o ideal seria que essa lei fosse votada na Câmara dos Deputados ainda este ano, apesar da agenda cheia do legislativo em 2008, por conta das eleições municipais. Posteriormente, a lei também deverá ser votada no Senado Federal.
Os investidores em fontes renováveis de energia vêm crescendo ano após ano em todo mundo, e o Brasil tem um grande potencial nesse mercado.


Um Abraço!


Victor Alexim

segunda-feira, 2 de junho de 2008

Um elefante branco incomoda muita gente

Um grande, sujo e desengonçado elefante branco está prestes a despertar de seu largo sono e promete trazer muitos incômodos financeiros e de segurança ao Brasil. O Programa Nuclear Brasileiro (PNB), congelado há duas décadas por falta de dinheiro, tarifa competitiva ao consumidor e soluções para os rejeitos radioativos, foi reativado no ano passado com o anúncio da construção da usina nuclear Angra 3 sem que o governo brasileiro tenha respondido satisfatoriamente à sociedade como vai resolver as muitas questões ainda pendentes.
As autoridades podem até tentar camuflar os altos custos de construção, manutenção, seguro contra acidentes e descomissionamento (desmontagem e armazenamento de todos os componentes radioativos) de Angra 3 , mas no que depender do Greenpeace, o governo vai ter que se explicar. Com o lançamento do relatório:” Elefante Branco: os verdadeiros custos da energia nuclear”, o Greenpeace revela à sociedade o que são os consumidores de energia que vão pagar o altos custos da aventura nuclear brasileira, por meio dos muitos subsídios que Angra 3 demandará para entrar em funcionamento – sem falar no impacto ambiental de incalculável proporções.
O relatório, lançado no mês de março, é baseado em um estudo econômico encomendado pelo Greenpeace a especialistas vinculados à Universidade de São Paulo (USP) para decifrar a matemática usada pelo governo para apresentar Angra 3 como um empreendimento economicamente viável. O que o relatório aponta é justamente o contrário: o projeto de construção da terceira usina nuclear brasileira se baseia em premissas financeiras irreais e ignora fatores fundamentais de segurança e custos de manutenção e de armazenamento de lixo radioativo. O elefante branco foi maquiado para parecer apetitoso à iniciativa privada e aos consumidores de energia. Não é uma coisa nem outra. A construção das usinas angra 1 e Angra 2 foi marcado por atraso no cronograma, orçamento bilionário estourado e total falta de transparência governamental, algo que é bem comum em todos os projetos nucleares realizados mundo afora.
O governo ocultou gigantescos subsídios para tornar o projeto competitivo no mercado energético nacional. Em outras palavras: dinheiro público que poderia estar sendo usado em projetos mais limpos e segurar, com o de energia eólica ou pequenas centrais elétricas (PCHs), está sendo enterrado em um empreendimento caro e perigoso, que não se sustenta dos pontos de vista energético ou financeiro e ainda impede o desenvolvimento de um mercado de energias renováveis no país. O Brasil tem um imenso potencial para fontes alternativas de energia, mercado em franca expansão em todo o mundo graças a incentivos governamentais. Se o governo brasileiro investir bilhões de reais num projeto Angra 3, podemos perder o bonde da história e ficar para trás no desenvolvimento desse mercado limpo e renovável de geração de energia.


Um Abraço!


Victor Alexim

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Consumo consciente: o T da questão

Uma das cenas mais comuns em qualquer mercado é o consumidor conferindo o rótulo do produto que deseja comprar. É nele que estão às informações básicas, do total de calorias, à presença de glúten, que muitas pessoas não podem consumir, passando pela possibilidade de reciclagem do local de fabricação. Mas um dado importante vinha sendo sonegado há pelo menos quatro anos: se o produto foi fabricado com matéria transgênica.
Desde 2004 vigora no Brasil o Decreto de Rotulagem, que prevê a inclusão de um triângulo amarelo com o T preto no meio dos rótulos de todos os produtos fabricados com 1% ou mais de organismos geneticamente modificados. É um direito do consumidor saber se o que estão comprando contém transgênicos, e um dever da empresa informar sobre o fato.
Mas nenhuma empresa cumpriu a lei de imediato. Levou quase quatro anos para isso acontecer, e mesmo assim apenas depois de uma denúncia do Greenpeace (o qual sou um colaborador) feita em 2005, que gerou a ação na justiça promovida pelo MP de São Paulo em 2007. O juiz bateu o martelo e obrigou duas grandes produtoras de óleo de soja, Burge e Cargill, a rotularem seus principais produtos – entre eles, dois líderes de vendas nos mercados, os óleos Liza e Soya.
Foi uma vitória e tanto, mas apenas o primeiro passo de uma longa caminhada. O Greenpeace está empenhado para que todos os produtos que contenham transgênicos sejam rotulados, e não apenas duas ou três marcas de óleo. A lei assim exige; o consumidor também.
Só assim os brasileiros vão realmente exercer seu direito de escolha, que é garantido por lei, e também contribuir para o meio ambiente, evitando a compra de um produto que causa tantos problemas ambientais.
Já está na hora de as empresas respeitarem a Lei de Rotulagem e também o desejo das pessoas de promoverem o consumo consciente, uma das melhores formas de protegermos nosso planeta.

Um Abraço!


Victor Alexim

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Queda no desmatamento na Amazônia: notícia boa com gosto amargo

Bali, Indonesia — Taxa anual cai 20% mas desmatamentos mensais estão aumentando desde maio, empurrados pelo aumento nos preços das commodities agrícolas.

O governo federal anunciou na quinta-feira (dia 6) que o desmatamento na Amazônia brasileira caiu pelo terceiro ano consecutivo – desta vez para 11.224 km2 no período 31 de julho 2006 a 1o de agosto de 2007. Este número representa uma redução de 20% em relação à taxa de desmatamento do mesmo período do ano anterior.

Mas não vai dar o gostinho que o governo brasileiro esperava ter na boca para falar grosso aqui em Bali. O governo sabe, assim como nós, que o desmatamento mensal voltou a aumentar desde maio, puxado pelo aumento nos preços agrícolas.

Em agosto deste ano, quando confirmou os dados do desmatamento de 2005/2006, o Ministério do Meio Ambiente deixou claro que apostava num recorde histórico para o período seguinte. Falava em um desmatamento anual em torno de 9.600 km2, baseado em estimativas preliminares do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Mas o desmatamento real foi mais de 17% maior do que o estimado.

Caso as expectativas do governo federal se confirmassem, teria nas mãos não apenas a menor taxa desde 1998, quando o Inpe começou a monitorar a derrubada das árvores na Amazônia, mas também um argumento forte para enfrentar, em Bali, a pressão para assumir compromissos concretos com metas de redução de emissões resultados do desmatamento.

A análise dos dados do Inpe revela que o Pará destruiu 5,569 km2 de florestas no período e se manteve, pelo segundo ano consecutivo, como o campeão do desmatamento. Sozinho, o estado governado por Ana Júlia Carepa foi responsável por 50% do desmatamento de toda a Amazônia brasileira no ano.


A queda no desmatamento na Amazônia pelo terceiro ano consecutivo demonstra que maior governança, aliada a vetores econômicos favoráveis, atuam em benefício da floresta amazônica, e em conseqüência, do clima do planeta.

“Em vez de bloquear soluções que levem a inclusão das florestas no mandato de Bali, o governo brasileiro deveria aproveitar a grande preocupação da opinião pública com as mudanças climáticas para aprofundar o programa de combate ao desmatamento, fortalecendo medidas estruturantes que permitam, num prazo de sete anos, no máximo, acabar com a destruição da Floresta Amazônica", diz Adario, lembrando que o Brasil está perdendo uma oportunidade histórica de liderar em Bali a busca por um acordo que permita à Convenção do Clima adotar medidas concretas para fortalecer a luta contra o desmatamento em países em desenvolvimento.

"Principalmente nas florestas tropicais, que são responsáveis por cerca de um quinto das emissões globais de gases-estufa", diz o coordenador da campanha Amazônia do Greenpeace.

"Agora é a hora perfeita para derrotar o dragão do desmatamento. Para isso o governo deve adotar metas e mobilizar a sociedade a apoiá-lo nessa luta. Com metas claras e propostas construtivas, o Brasil teria a credibilidade necessária para levantar o recurso financeiros destinados a compensar os moradores da floresta pelos serviços ambientais que ela presta ao clima e ao meio ambiente."


Um Abraço!


Victor Alexim

terça-feira, 13 de maio de 2008

Maomé não dá colher de chá

Na Arábia Saudita é proibida a presença de mulheres nos estádios, mas como a copa do Rei, torneio de futebol que é disputado lá, é reconhecida ela FIFA, os organizadores do evento abriram uma exceção, permitindo a entrada de mulheres estrangeiras. As nove mulheres brasileiras que, acompanhadas de seus maridos, adentraram o estádio Rei Fahd, em Riad, foram assediadas sexualmente por torcedores locais com propostas indecentes, o que fez com que pedissem proteção policial. Sendo proibida a presença de mulheres nos estádios, o moderno estádio onde jogou a seleção brasileira não tinha banheiros femininos, - seria um transtorno a mais para as torcedoras brasileiras. Para evitar constrangimento e o risco que correriam num banheiro masculino, os organizadores do torneio interditaram um dos banheiros masculinos, para alivio e segurança das torcedoras brasileiras.
Se abriram uma exceção, permitindo a entrada de estrangeiros, no estádio, exigiram que cobrissem as curvas do corpo, o rosto e colocassem um lenço na cabeça, em respeito às tradições islâmicas contidos no Alcorão, o livro sagrada do Maometismo, religião fundada por Maomé. A rigorosa tradição islâmica não permite que as mulheres tirem carteira de motorista, proibindo-as também de viajar sem a companhia de um parente do sexo masculino. Aqui no Ocidente as mulheres dirigem, andam sem lenço e sem documentos aposentam-se mais cedo que os homens, batem nos maridos, algumas até chegam ao cúmulo de amputar o documento masculino, como se fosse um pescoço de frango, andam e desfilam seminuas nas praias, fazem o que querem e ainda choram por mais direitos, sem falar nas feministas que repudiam o homem e exigem o direito de poder unir-se legalmente a outra mulher.
As nove torcedoras voltaram revoltadas com os maridos, pensando que foram levadas a essa excursão para serem sacaneadas.
Viajar a passeio é muito bom e altamente instrutivo, pois em contato com outras culturas oxigenamos o cérebro.
A “Copa do Rei Fahd”foi didática.



Abraços!



Victor Alexim

sábado, 10 de maio de 2008

Pai e Filho

Nesse pequeno texto tento mostrar a importância de um pai para um filho da forma mais pura e inocente.

Um menino, com voz tímida e com os olhos cheios de admiração,pergunta ao pai,quando este retorna do trabalho:
- Pai, quanto o senhor ganha por hora?
O pai, num gesto severo, responde:
- Meu filho,isso nem a sua mãe sabe.Por isso,não me amole,estou cansado.
E o filho insiste:
- Mas papai,por favor,diga,quanto o senhor ganha por hora?
A reação do pai foi menos severa e respondeu:
- Dez reais por hora.
- Então papai,você poderia me emprestar um real?
O pai,cheio de ira e tratando o filho com brutalidade,respondeu:
- Então era essa a razão de querer saber quanto eu ganho? Vá dormir e não me enche mais a paciência!
Já era noite,quando o pai,por algum momento raro,começou a pensar no que havia acontecido com o filho e sentiu-se culpado.Talvez,quem sabe, o filho precisasse comprar algo.
Querendo aliviar sua consciência doída,foi até o quarto do menino e,em voz baixa perguntou:
- Filho, está dormindo?
- Não papai.
O garoto respondeu sonolento e choroso.
- Olha,aqui está o dinheiro que me pediu:Um real.
- Muito obrigado, papai! Disse o filho.
Levantando-se rapidamente retirando mais nove reais de uma caixinha que estava sob a cama.
- Agora já completei,papai! Tenho dez reais. Poderia me vender uma hora do seu tempo?
Você é muito importante para mim.



Um Abraço!


Victor Alexim

Tributo à Poderosa

Com a ajuda do homem, a mulher alcançou o seu espaço e hoje disputa com o homem o mercado de trabalho em igualdade de condições, no teatro, no cinema, nas universidades, na literatura, no comércio, enfim, em todas as atividades. Hoje vemos mulheres pilotando jatos, dirigindo caminhões e táxis, chefiando empresas de médio e grande porte, exercendo a medicina com brilhantismo, destacando-se na magistratura e na política, com entusiasmo e honestidade.
Salvo raríssimas exceções, como a doutora Jorgina, aquela das fraudes do INSS, as mulheres são mais honestas que os homens. As mulheres casadas trabalham fora de casa possuem invejável capacidade de trabalho, pois chegam em casa e enfrentam tarefas domésticas variadas, ajudam os filhos nas tarefas escolares, arrumam e desarrumam gavetas, trocam os móveis de lugar, telefonam e assistem televisão ao mesmo tempo, dão conselhos às amigas e parentes, encontram tempo para quebrar o galho dos maridos, e aos sábados vão ao salão de beleza. Ficam quase o dia inteiro cuidando das unhas e cabelos e ainda aproveitam o tempo para falar bem dos maridos. Responsável pela procriação da espécie e amamentação dos filhos, a mulher embeleza e perfuma os ambientes e faz a alegria dos homens. Sempre que chega uma mulher em determinado local, a conversa dos homens toma outro rumo e até a postura muda.
Se Erasmo fez o elogio a loucura, Glauco enalteceu a injustiça, por que não posso fazer elogio à poderosa? Delicada, macia, cheirosa e apetitosa, quente e úmida, quando em exercício, cheia de sensibilidade e mistérios, a poderosa é a coisa mais desejada do mundo. Procurada no mundo inteiro, motivo freqüente de brigas e mortes, ela segue seu caminho sempre escondida, coberta e bem protegida, ciente da sua importância. Que Deus proteja hoje e sempre, porque todo dia é dia da mulher e dela acima de outras coisas.


Abraços!!


Victor Alexim

quarta-feira, 7 de maio de 2008

Unilever faz a coisa certa e anuncia moratória na Indonésia

Amsterdã, Holanda — Em resposta à campanha do Greenpeace contra a destruição da floresta em Borneo, empresa se compromete a usar apenas óleo de dendê produzido sustentavelmente. Outras empresas como Nestlé e Procter & Gamble precisam aderir à causa.

O anúncio desta quinta-feira da Unilever de que decretará moratória contra a destruição das florestas na Indonésia foi comemorado pelo Greenpeace, que vê agora um pouco mais de esperança para os orangotangos que vivem na região e também para o clima.

Num discurso feito em Londres, Patrick Cescau (presidente da Unilever) apoiou a demanda do Greenpeace para a suspensão da destruição das florestas na Indonésia para a produção de óleo de dendê. Ele também prometeu que todo o óleo de dendê usado pela empresa será sustentável até 2015. No entanto, o Greenpeace alertou para o fato de que sem a interrupção do desmatamento na Indonésia, os esforços da Unilever para obter óleo de dendê sustentável estarão fadados ao fracasso.

A decisão da Unilever aconteceu após a campanha iniciada pelo Greenpeace expondo a empresa pelo fato dela ser co-responsável pela destruição do habitat natural de orangotangos na Indonésia. Ao comprar óleo de dendê de produtores locais, a Unilever estimulava o desmatamento de florestas inteiras no país asiático - que corresponde a 4% das emissões globais de gases do efeito estufa.


O Grenpeace insistiu para que outras grandes empresas usuárias do óleo de dendê e membros da Mesa Redonda sobre Óleo de Dendê Sustentável (incluindo Procter & Gamble, Kraft e Nestlé) agora precisam juntar forças com a Unilever e pressionar os fornecedores do óleo a parar imediatamente com a destruição da floresta na Indonésia.

Na semana passada voluntários do Greenpeace vestidos como orangotangos foram a diversos escritórios da Unilever por toda a Europa para mostar ao público o papel da empresa na destruição da floresta indonésia.

"O compromisso da Unilever em apoiar a produção sustentável de óleo de dendê é interessante mas poderá ser inócuo se seus fornecedores não pararem de destruir a floresta - por isso a moratória é tão importante. A Unilever compra, todos os dias, óleo de dendê desses fornecedores, e enquanto isso orangotangos ficam cada vez mais próximos da extinção", afirma Tim Birch, da campanha de florestas do Greenpeace Internacional.

Abaços!


Victor Alexim

segunda-feira, 28 de abril de 2008

BOB JEFF: O HERÓI BRASILEIRO

A incrível história do acusado de corrupção que virou o salvador nacional.

Mestre-de-cerimônias do escândalo político mais suculento da década. Roberto Jefferson é um herói improvável. Admitidamente falsário, Bob Jeff, como foi apelidado por seus fãs, conquista admiradores a cada “depoimento”.
A comunidade “Roberto Jefferson é o cara” no Orkut, a maior entre as 473 que levam seu nome, tem 7,5 mil membros.
Já a “eu odeio Roberto Jefferson” aparece num distante nono lugar, contando com menos de 1,1 mil membros da “Roberto Jefferson é honesto”a sétima colocada. Entre os admiradores, o ator Thiago Lacerda declarou recentemente: “Roberto Jefferson é meu herói atual”.
Herói? Encurralado, mostrou as presas, mas não para se defender. Motivado por vingança ou por malicia, espalhou a merda com a eficiência de um ventilador industrial, abalou as estruturas da República e orgulhou-se “Eu sou que nem índio, caio de faca no dente e machadinha na mão, disse.
Esse é o legitimo herói brasileiro! Herói porque revelou uma rede de corrupção para afrontar a sociedade. Herói brasileiro porque o fez na cara dura, tirando sarro e, sobretudo olhando para o próprio umbigo.
A história brasileira está repleta de homens que, agindo em causa própria, esbarraram numa nobre causa. José de Anchieta, por exemplo, que ainda por cima era padre tornou-se herói da educação e defensor dos índios ao catequizá-los e lutar contra sua escravidão (a de negros, tudo bem por ele), mas sustentava-se pela mão-de-obra de seus protegidos, levando-os a colaborar pacificamente por temor a Deus (diga lá se “colaboração pacifica” não é eufemismo de tipo “dinheiro não contabilizado”).
Como ele, D. Pedro I, herói da independência, só queria mesmo era um trono; Getúlio Vargas, o “pai dos pobres”, tinha um projeto para o país que se resumia a aumentar seu poder pessoal; e mesmo Tancredo, o herói das diretas, nunca foi dos maiores operadores da causa e ainda fez conchavo com militares para se tornar presidente.
Por que então admiramos esses homens? Seria, como afirmou Mário de Andrade, criador do anti-herói Macunaíma, por que “o brasileiro não tem caráter”. Ou somos apenas realistas e, enxergando falhas no caráter de todo ser humano, nos admiramos, quando elas levam homens comuns, menos nobres do que nós, à realização de grandes feitos?
O excelentíssimo senhor ex deputado Roberto Jefferson, malandro e amoral que é, só queria ferrar quem lhe ferrou.
Mas o fato é que, fora o show, ajudou o Brasil a se dar ao respeito, por isso, virou Bob Jeff, herói brasileiro.


Abraços!


Victor Alexim

domingo, 27 de abril de 2008

A IMPORTÂNCIA DO ISO 14000

Ao falarmos de ISO logo nos vêm a cabeça o ISO 9000 que significa que a empresa tem controle de qualidade, e se eu te disser que uma empresa possui o ISO 14000?
Provavelmente você não saberá me dizer o que isso significa, vou tentar explicar o que é.


O que significa obter a certificação ISO 14000?

Significa que o sistema de gerenciamento ambiental da empresa foi avaliado por uma entidade independente reconhecida por um organismo nacional de avaliação considerado de acordo com os requisitos da norma ISO 14001.


Qual a validade da certificação?

A certificação é válida por três anos com auditoria/acompanhamento, no mínimo, uma vez por ano ou a cada seis meses.
Este acompanhamento é realizado pela entidade certificadora e tem por objetivo garantir que a empresa mantenha um sistema de gestão ambiental e que sua performance atenda ou supere os resultados planejados, bem como os requisitos da norma aplicável estão sendo atendidas.


Qual é o impacto da ISO 14000 nos negócios?

Não há dúvidas de que a conscientização do público com os aspectos ambientais faz com que as organizações que levam ISO em conta tem uma vantagem competitiva em relação as demais.
Os produtos terão uma utilização mais segura minimizando os desperdícios e aumentando a proteção ambiental.
As seguradoras já passam a avaliar os riscos de acidentes ambientais na estipulação de prêmios de seguros.
Órgãos de financiamento internacional, como BIRD, têm exigido o preenchimento de relatórios ambientais.
A sua implantação também proporcionará economias para as empresas, através da redução do desperdício e do uso dos recursos naturais.
A ISO 14000 dá ênfase na melhoria contínua, o que proporcionará às empresas for sendo operacionalizado.


O sistema de gerenciamento ambiental previsto pela norma contém os seguintes elementos:

Uma política ambiental suportada pela direção da empresa;
Identificação dos aspectos ambientais e dos impactos significativos;
Identificação de requisitos legais e outros requisitos ( legislação);
Estabelecimentos de objetivos e metas que suportem a política ambiental;
Um programa de gerenciamento ambiental;
Definição de papéis, responsabilidade e autoridade;
Procedimentos de controle operacional;
Procedimentos para emergência;
Procedimentos para gerenciamento de registros;
Programa de autorias e ação corretiva;
Procedimento de revisão do sistema pela alta administração.


Por que as empresas estão implantando sistema de gerenciamento ambiental?

Minimização dos impactos ambientais e de seu custo;
Redução de riscos com multas, indenizações, etc...;
Melhoria da imagem da empresa em relação a performance ambiental;
Garantia de cumprimento de legislação ambiental e regulamentos;
Redução dos custos com seguro;
Melhoria de sistema de gerenciamento da empresa.


Quais os benefícios da implantação da ISO 14000?


Para a empresa:


Assegurar o cumprimento da legislação;
Redução de riscos referentes a acidentes ambientais;
Obter o reconhecimento do público e dos clientes para o esforço de preservação ambiental;
Melhorar os métodos de gerenciamento;
Estabelecer uma política ambiental para toda a empresa;
Reduzir o desperdício do uso de recursos naturais;
Reduzir os efluentes e o custo com seu tratamento.


Para os clientes:


Confiança no produto fornecido pela empresa;
Confiança de que a empresa dá prioridade aos aspectos ambientais;
Menor risco de acidentes ambientais;
Maiores informações sobre a empresa quanto aspectos ambientais.


A ISO publicou uma série de normas que complementam as normas básicas, orientando sua implementação.

Segue relação de todas as normas ISO da família 14000 sobre o assunto:

Sistema de gerenciamento ambiental: 14000, 14001, 14004;
Auditoria ambiental: 14011, 14013,1014, 14005;
Rotulagem ambiental: 14020, 14021, 14022, 14023, 14024;
Avaliação de performance ambiental: 14031, 14032;
Avaliação do ciclo de vida: 14040, 14041, 14042, 14043;
Glossário: 14050;
Aspectos ambientais nas normas de produtos: 15060.

Espero que tenham aprendido alguma coisa, e principalmente que tenham a noção da importância do ISO 14000.

Abraços

Victor Alexim

sexta-feira, 25 de abril de 2008

UNIMULTIPLICIDADE

Unimultiplicidade significa uma variedade de coisas diferentes, mas unidas por uma finalidade.

Na letra de Tom Zé essa música soa como um hino para levantarmos nossas armas e lutarmos pelo que queremos, pois muitas vezes reclamamos de tudo e nada fazemos para mudar, pois é muito mais fácil falar, reclamar, do que levantarmos e brigarmos por um ideal, mesmo que seja o ideal próprio de felicidade.
Sempre que ouço essa música me sobe um angústia de saber que o ser humano em geral se adequa as regras gerais estabelecidas por uma sociedade hipócrita, em saber que os mesmo que reclamam todo o tempo que os políticos não fazem nada por eles, são os mesmo que vendem seus votos e dois dias depois se perguntarmos em quem votou ele fala rindo que não sabe.
Há pouco tempo no programa pânico na TV foi feita uma pesquisa nas ruas do Brasil, a pergunta era:
Quem venceu o BBB8?
Todos souberam responder, logo em seguida era perguntado:
Quem é o vice presidente do Brasil?
Ninguém soube responder.
Confesso foi engraçado, mas se pararmos para pensar isso é o fundo do poço, o Brasil é um país onde só nos interessamos por política quando chega perto da eleição e falamos:
Que merda já vai começar o horário eleitoral.
Utilizada na maioria dos países que adotam o sistema proporcional, a lista fechada é quase uma unanimidade na discussão da reforma política.
As listas fechadas, também chamadas de listas pré-ordenadas, priorizam a escolha do partido na votação, ou seja, o eleitor vota de acordo com uma relação de candidatos apresentada pelo partido. O voto irá diretamente para o partido e ajudará a eleger os candidatos da lista.
Imagina se no Brasil fosse adotado o sistema eleitoral de lista fechada, os "ratos do poder" como diz meu pai iriam brigar entre si para conseguir uma boa colocação, quem lucrarica com isso seria o povo pois realmente o mandato seria do partido, e não teríamos que decorar o tempo todo as siglas dos partidos que nossos deputados e vereadores tanto mudam.
É inacreditável que num país que surgem dinheiros em cuecas, mensalões, e tantas outras podridões não haja uma revolução em massa, falo no modo extremo, sair para as ruas gritar por honestidade.
Tenho fé de que um dia surgirá alguém com o pensamento de realmente usar seu mandato para promover o bem comum, enquanto essa pessoa não surge só me basta sentar na poltrona, com meu pote de pipoca na mão e abismado assistir à essa peça teatral em que se tranformou a política.

Um abraço!

Victor Alexim

quinta-feira, 24 de abril de 2008

INSENSATEZ

LOUCOS OS QUE NÃO AMAM
POIS NO AMOR ESTÁ A ESSÊNCIA DA VIDA
FAZ ELA SE TORNAR MELHOR
MAIS BONITA, MAIS FLORIDA

INSANOS OS QUE NÃO TEM NO AMOR
UMA FORMA DE SE VIVER
POIS ESSE SIM NÃO BRILHA
VIVE APENAS POR VIVER

INFELIZES OS QUE
NO AMOR NÃO SE APEGAM
POIS NELE ESTÁ A VIRTUDE
E MUITOS A ELE RENEGAM

SÁBIOS OS QUE TEM
O AMOR COMO RELIGIÃO
ESSES SIM SERÃO FELIZES
E PROVAVELMENTE NÃO SOFRERÃO

SENSATOS OS QUE
SEMPRE VIVEM PARA AMAR
ESPERAS LONGAS OU NÃO
UM DIA ELA IRÁ CHEGAR

FELIZES ASSIM COMO EU
QUE VIVO POR TI, AMOR
EU SEI QUE POSSO SOFRER
MAS SOFRO COM TODO FERVOR

AMOR NOS CHEGA DO NADA
TÁ BEM PERTO OU BEM DISTANTE
SÓ ELE PODE TRANSFORMAR
CADA MOMENTO NUM GRANDE INSTANTE



VICTOR DE SOUZA ALEXIM

FAMÍLIA SEMPRE É FAMÍLIA

Não posso ser hipócrita a ponto de falar que tenho saudades dos tempos das rádio-novelas, porque não os vivi, porém é quase certo que se eu parar para perguntar a qualquer um que viveu essa época essa pessoa responderá que tem.
Antigamente era comum a família se reunir para ouvir as novelas que empolgavam a todos, época de Ari Barroso, e outros mil que são imortalizados nos bate papos com nossos avós.
Hoje a família perdeu esse brilho, perdeu-se o respeito, são filhos afrontando pais, são pais abandonando filhos, e tudo é normal, televisão explorando a todo custo desgraça dos outros. Enquanto por um lado a mídia condena a comemoração dos jogadores que fingem tiros ao comemorar gols, as novelas expõe invasões em favelas.
E me respondam qual horário é mais assistido?
Os pais tentam de qualquer forma educar seus filhos para que se adequem ao mundo lá fora, porém o mundo lá fora muda a cada segundo, e infelizmente muda para pior, tudo hoje em dia é informatizado, acabaram com a humanização, hoje em dia é mais fácil os pais se comunicarem com seus filhos pelo celular do que pelo presencial.
Temos que nos preocupar com o avanço desorganizado da tecnologia, são muitas informações chegando de qualquer maneira de forma muitas vezes bruta e instantânea, temos que ser hábeis para poder filtrar o que é importante.
A instituição família pede socorro, está indo por água abaixo, hoje os filhos seguem muito mais a cabeça dos amigos do que um conselho dos seus velhos pais. Graças a Deus na minha casa prezamos sempre pela conversa, sempre procuramos viver em harmonia e tanto eu como meu irmão sempre respeitamos nossos pais, afinal eles são nossos pais e sempre querem nosso bem.
Lembrem-se sempre pais temos apenas dois, valorize hoje para não se arrepender depois, quando for tarde demais.

Afinal "os dias são os mesmos, porém os minutos são diferentes."

Um abraço!

Victor Alexim

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Os novos "velhos do saco"

Antigamente era muito comum que os pais para se livrarem de qualquer incomodo ou insistência de seus filhos ou sobrinhos usassem como subterfúgio o famoso"velho do saco", quem não se lembra de ter ouvido de seus pais as famosas frases:

"... não vá ali porque o velho do saco vai te pegar..."
"... não faz isso porque senão eu chamo o velho do saco..."

Aposto que todos já ouvimos isso, porém quem são os "velhos do saco" de hoje em dia?
O "velho do saco" de antigamente se chamava "velho do saco", os novos "velhos do saco" tem nomes definidos e bem conhecidos, hoje em nossa cidade temos um que responde por nome de Coronel Bolinha.
Antes os "velhos do saco" eram imagináveis, hoje são reais, são os bandidos que comandam as cidades, são os estupradores que estão a solta, vivemos num mundo que tudo está se tornando normal, pessoas morrem todos os dias vítimas de violência e o que sabemos fazer é discutir quem é o prefeito, ou quem será o prefeito, do jeito que as coisas andam estaremos andando pela rua e pessoas morrendo na nossa frente e a única coisa que faremos será desviar dos corpos para que não atrapalhem nosso caminho e não nos atrapalhem para chegarmos as nossas casas para vermos as novelas das oito e comentarmos com nossos parceiros " nossa como a novela está violenta, isso é irreal".
Temos um sistema carcerário falido, onde ao invés de ressocializarmos nossos presos, fazemos com que entrem lá ladrões de galinha e saiam de lá assassinos, é preciso uma participação maior da sociedade civil organizada.
Tão importante quanto matemática, quanto português, a política deveria ser incluída nas matérias obrigatórias, para que desde cedo possamos aprender a diferenciar os bons, do "velho do saco", com certeza se tivéssemos tido essa noção na escola, nunca teríamos chegado ao ponto que estamos hoje. Digo e afirmo, só a educação não é a solução, mas pode desencandear um começo de uma nova era, de pessoas politizadas, que não se deixam enganar por politicagens e programas eleitoreiros.

Um abraço!

Victor Alexim