sábado, 19 de julho de 2008

Todo o poder às renováveis

No ano passado com o relatório “[R]evolução Energética”, o Greenpeace mostrou o caminho das pedras para aumentar a parcela das fontes renováveis de energia na matriz brasileira até 2070. Agora, cabe ao Congresso Nacional discutir e aprovar uma lei que estabeleça incentivos financeiros e estruturais que facilitem o acesso de energia renovável à rede elétrica brasileira. Sem incentivos, o que já é realidade em diversos paises do mundo continuará apenas um distante sonho no Brasil.
“Estamos trabalhando por uma Lei que garanta prioridade a essas fontes no sistema interligado nacional, fomentando assim o setor de renováveis no país” explica Ricardo Baitezo, especialista em energia do Greenpeace Brasil.”Para pressionar o governo e mobilizar formadores de opinião, o Greenpeace está apoiando a realização de seminários específicos sobre o tema em Brasília e no nordeste. Os eventos devem reunir técnicos, especialistas, autoridades do executivo e do legislativo para discutir modelos legais e formas de incentivo”.
A matriz energética brasileira é principalmente baseada em hidrelétricas de grande escala. Quando se fala em energias renováveis, refere-se à energia eólica, solar, hídrica de pequeno porte e biomassa, ou seja, um modelo de geração descentralizado, mais próximo dos centros consumidores e, portanto de menos escala. Hoje essas fontes ainda representam uma parcela muito pequena da matriz elétrica nacional, principalmente por falta de incentivos do poder público, que não foi capaz de estabelecer regras claras para a comercialização dessa energia nem atrair investidores do setor.
Estudos do próprio governo federal mostram que o potencial de energia solar e eólica brasileiro é imenso. “Além disso, se considerarmos o crescimento das usinas sucroalcooleiras e o subseqüente aproveitamento do bagaço da cana, a geração de eletricidade a partir de biomassa também pode ser expressiva”, explica Ricardo.
Não há como garantir, mas o ideal seria que essa lei fosse votada na Câmara dos Deputados ainda este ano, apesar da agenda cheia do legislativo em 2008, por conta das eleições municipais. Posteriormente, a lei também deverá ser votada no Senado Federal.
Os investidores em fontes renováveis de energia vêm crescendo ano após ano em todo mundo, e o Brasil tem um grande potencial nesse mercado.


Um Abraço!


Victor Alexim

Nenhum comentário: